Conexões Globais 2016 debate cidades democráticas, mobilizações e espaços urbanos

Evento promove conferências com grandes pensadores e ativistas, oficinas e shows musicais

Nos dias 1 e 2 de abril, Porto Alegre será palco de um amplo diálogo entre os mais diferentes setores da sociedade em rede. A edição 2016 do Conexões Globais reunirá comunicadores e ativistas dos mais diferentes movimentos sociais para discutir temas como espaços urbanos, manifestações sociais em rede, políticas públicas e diversidade sexual e de gênero. As atividades acontecem no Vila Flores – espaço multifuncional no bairro Floresta, que abriga atividades de Arte e Cultura, Educação, Empreendedorismo e Arquitetura e Urbanismo – com entrada franca.

Como nas edições anteriores, as atividades do Conexões Globais serão transmitidas ao vivo pela internet, com cobertura colaborativa via redes sociais. Além dos debatedores presenciais, cada debate conta com um webconferencista, que participa da discussão via web.

Serão seis debates (três a cada dia), sempre a partir das 16h. Entre os temas que serão discutidos, há amplo espaço para as cidades democráticas e a participação social via internet, conectando as ruas e as redes na gestão do bem comum. Entre os debatedores já confirmados estão Clara Averbuck, Fabio Malini, Lola Aranovich, Pablo Ortellado e Tiago Pimentel. Uma das mesas, “Brasil: Jornadas de Junho aos novos movimentos sociais em rede” discutirá a força dos movimentos tecnopolíticos, como #PrimaveradasMulheres, #OcupaEscolaSP, e qual o papel destes movimentos sociais em rede e na renovação política brasileira. Em apoio a essa discussão, o painel “Mulherada Empoderada: os feminismos insurgentes nas ruas e nas redes” abrange o ativismo em rede, irá discutir a mobilização feminina frente ao machismo, à violência cotidiana e a indiferença do Estado. Enquanto o painel, “Participação Social na Era da Internet” busca trazer à discussão o conceito de gestão centralizada e controlada, aplicando a perspectiva da construção das cidades democráticas, conectando as ruas e as redes digitais na gestão do bem comum.

Além dos debates, oficinas serão realizadas simultaneamente, com temas relacionados ao uso de tecnologias livres e a cultura digital. Introdução ao Arduíno, Teatro das Sombras, Análise e Grafo das Redes, Escrita Criativa e Desenhos de Arquitetura e Observação são as oficinas confirmadas. Residentes do espaço cultural alternativo e autossustentável Vila Flores, como Estúdio Hybrido e Matehackers, estão entre os ministrantes das oficinas, que transformam o 4º Distrito da Capital num dos pólos culturais mais importantes da cidade.

O evento vai trazer também diversas conexões culturais, com apresentações musicais do Projeto CComa, do grupo Afrocalipse, de Wander Wildner, Izmália, Frank Jorge e Jimi Joe.

O Conexões Globais 2016 é realizado pela Associação Software Livre com apoio da Procempa e Secretaria de Direitos Humanos.

Texto: Juliana Prato – Adriana Martorano Gestão de Conteúdo

Foto: Cristiano Sant’Anna / indicefoto

Igor Natusch
14 de março de 2016
Igor Natusch - 14 de março de 2016