Muita música e papo reto no primeiro dia de atrações culturais do Conexões

Foi uma grande reunião de sons, influências, releituras e boas energias. O primeiro dia de atrações musicais do Conexões Globais – Cidades Democráticas trouxe um grande encontro entre moderno e popular, tradição e digital, em shows que colocaram o Vila Flores para dançar e para pensar.  Dá uma passada no nosso Instagram e no Flickr para ver imagens de todas as apresentações, e assiste trechos de toda a bagunça (no melhor sentido!) em nosso canal do YouTube.

Abrindo a jornada musical do Conexões 2016, o Afrocalipse mandou bem em um hip hop de letras críticas e muita convicção. Denunciando os descalabros políticos do país, os músicos Spaw e Gui (acompanhados pelo DJ Tony nos toca-discos) também retrataram a realidade da população negra das periferias, fazendo uso de arranjos que desafiam as fronteiras normalmente estabelecidas do estilo. O show do Afrocalipse agradou tanto que os músicos acabaram dando bis no final, atendendo pedido da plateia.

Depois do papo reto do Afrocalipse, foi a vez do punk romântico Wander Wildner trazer sua música para o palco do Conexões. Em um show altamente intimista, Wander tocou sozinho, acompanhado apenas de um violão – ou às vezes nem isso, já que interpretou algumas músicas sem nenhum instrumento, apenas com a voz. Clássicos como “Um Lugar do Caralho” (homenagem ao recentemente falecido Júpiter Maçã) e “Bebendo Vinho” estiveram lado a lado a momentos mais emocionais, como a bela versão de “Pra viajar no cosmo não precisa gasolina”, tema histórico gravado por Nei Lisboa.

E nada melhor para encerrar as atividades do primeiro dia do que uma boa dose de clássicos do rock gaúcho. Frank Jorge e Jimi Joe, dois nomes emblemáticos da cena local, uniram forças em uma apresentação que resgatou clássicos do rock gaúcho, além de composições mais recentes. Em um formato simples de violões e voz, essas duas lendas do cenário roqueiro do RS trouxeram músicas emblemáticas como “Nunca Diga”, “Amigo Punk”, “Sandina” e “Eu”, entre muitas outras. No final, Wander Wildner juntou-se aos dois para um jam muito celebrada pelos presentes.

A agenda de shows do Conexões Globais – Cidades Democráticas continua no sábado, com três shows que dialogam 100% com o espírito horizontal e agregador do evento. Às 17h30, tudo começa com o Projeto CCOMA e seu “future jazz”. Mais tarde, às 19h30, sobe ao palco a Banda Tagore, que vem de Pernambuco e traz um rock cheio de colagens e múltiplas influências. Para fechar o Conexões 2016, a cantora Izmália vai trazer um tributo a Amy Winehouse, que promete trazer muita emoção ao Vila Flores. Você, é claro, está convidadíssim@. Vem!

Foto: Marcelo Curia e Anderson Astor

Igor Natusch
2 de abril de 2016
Igor Natusch - 2 de abril de 2016