Brasil: Jornadas de Junho aos novos movimentos sociais em rede

Dia 01/04 – 20h às 21h30

2013 ficará marcado como o ano em que o Brasil entra definitivamente na rota dos protestos sociais organizados a partir das redes sociais. As manifestações eclodiram sem lideranças definidas, sem a participação das organizações históricas e foram mobilizadas via internet, tomando de surpresa políticos, intelectuais e empresas de comunicação. De lá pra cá, novos movimentos com características tecnopolíticas comuns ganharam força e representatividade – entre eles, a #primaveradasmulheres, #ocupaescolasp e o retorno do #MPL, Movimento pelo Passe Livre. O que há de comum entre esses movimentos e os de 2013? Qual o papel dos movimentos sociais em rede nos rumos atuais e na renovação da política brasileira?

Participantes confirmados: 

Pablo Ortellado – professor do curso de Gestão de Políticas Públicas e do Programa de Pós-Graduação em Estudos Culturais da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo (USP).

Tiago Pimentel – Ativista dos grupos Actantes e Interagentes. Analista de redes, trabalha com a cartografia dos protestos.

Fabio Maliniprofessor de Comunicação e coordenador do Laboratório de Estudos sobre Imagem e Cibercultura (Labic) da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Cientista de dados, desenvolve tecnologias de mineração e visualização de dados e estudos aplicados à analise do ativismo e da política nas redes sociais. É midiativista e autor, junto com o professor Henrique Antoun (UFRJ), do livro “A internet e a rua”. Atualmente coordena a pesquisa “Big data da Indignação”, uma análise 11 milhões de tweets sobre as mobilizações políticas no Brasil, no período de junho de 2013 a agosto de 2015.

Igor Natusch
10 de março de 2016
Igor Natusch - 10 de março de 2016