Mulherada empoderada: os feminismos insurgentes nas ruas e nas redes

Dia 02/04 – 20h às 21h30

O último relatório da Anistia Internacional deixou claro o que as feministas já sabiam: a liberdade das mulheres sobre seus corpos foi um dos principais atentados aos direitos humanos no Brasil em 2015. A pauta conservadora do Congresso Nacional, o machismo incrustado em toda a sociedade, a violência cotidiana e a indiferença do Estado foram ao limite. Da opressão, cresceu a luta! As consequências surpreenderam alguns: as mulheres simplesmente lideraram as principais manifestações sociais em todo o país. Nas ruas e nas redes, um #feminismo impulsionou o outro e o debate se fez mais plural, superando limites e fronteiras.  Na batalha por direitos, os feminismos se encontram, se reconhecem, se estranham, se dão as mãos e seguem insurgentes na desconstrução de velhos paradigmas de gêneros. Em 2016 vai ser maior?

#MulheresContraCunha #MarchaDasMulheresNegras #PrimeiroAssédio #MeuAmigoSecreto #VamosJuntas #MexeuComUmaMexeuComTodas #NiUnaAMenos #legalizarOaborto #EuPrecisoDoFeminismo #AgoraÉQueSãoElas #VaiTerShortinhoSim

Participantes confirmadas:

Monique Prada – Trabalhadora sexual , presidenta da CUTS – Central Única de Trabalhadoras e Trabalhadores Sexuais e co-editora do MundoInvisivel.org
Clara Averbuck – Escritora e blogueira, uma das responsáveis pelo blog Lugar de Mulher
Lola Aronovich – Tem mestrado e doutorado em Literatura em Língua Inglesa pela Universidade Federal de Santa Catarina e, desde 2010, é professora do Departamento de Letras Estrangeiras da Universidade Federal do Ceará. Em 2008 começou o Escreva Lola Escreva, um dos maiores blogs feministas do Brasil, com média de 450 mil visualizações de páginas por mês.
Rubia Abs da Cruz – coordenadora do CLADEM – Brasil – Comitê Latino-americano e do Caribe para a Defesa dos Direitos da Mulher 
Negralisi
– feminista, ligada ao Coletivo Alicerce

Webconferencista:

Jaqueline Gomes de Jesus – Psicóloga do Núcleo Interdisciplinar de Ações para a Cidadania da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Doutora em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações pela Universidade de Brasília, com pós-doutorado pela Escola Superior de Ciências Sociais da Fundação Getúlio Vargas, Rio de Janeiro. É pesquisadora e autora de dezenas de publicações sobre gênero e feminismo, entre elas os livros “Orientações sobre identidade de gênero: conceitos e termos” e “Transfeminismo: teorias e práticas” e os únicos dossiês sobre transfeminismo em revistas científicas brasileiras.

Igor Natusch
10 de março de 2016
Igor Natusch - 10 de março de 2016